Trizteza.com

Tudo sobre tecnologia, games, animes e entretenimento para você.

Esta semana, documentos confidenciais da HBO foram publicados na internet, entre eles e-mails dos executivos da emissora e roteiros de 'Game of Thrones'

Hackers que roubaram informações dos servidores da HBO fizeram novas ameaças à emissora nesta terça-feira, 8, exigindo um resgate de US$ 6 milhões na moeda virtual bitcoin para não divulgar mais dados sobre séries da companhia.

O site especializado em tecnologia Mashable divulgou uma longa mensagem dos responsáveis pelo roubo de dados da HBO. No comunicado, os hackers alertam sobre as consequências para a emissora se o resgate não for pago em um caso de três dias.

Esta semana, documentos confidenciais da HBO foram publicados na internet. Entre eles estavam e-mails dos executivos da emissora, assim como roteiros da série Game of Thrones.

Em comunicado, a HBO disse que espera novos vazamentos de dados pelos hackers, mas afirmou que, apesar de e-mails terem sido divulgados, acredita que seu servidor não foi comprometido.

Game of thrones

O ataque cibernético foi divulgado na semana passada, quando várias informações de séries da HBO foram divulgadas na internet. Os hackers publicaram de forma antecipada o quarto episódio da sétima temporada de Game of Thrones, exibido no último domingo.

"Examinamos o incidente e estamos trabalhando com as forças da ordem e companhias de segurança. A proteção de dados é uma grande prioridade na HBO e levamos com seriedade a nossa responsabilidade de proteger a informação que possuímos", disse a empresa em nota.

Apesar de todos os problemas, a sétima temporada de Game of Thrones continua trazendo excelentes resultados para a HBO. Mesmo tendo sido vazado anteriormente, o quarto episódio da série foi assistido por 10,2 milhões de pessoas nos Estados Unidos, um novo recorde de audiência.

Fonte: http://cultura.estadao.com.br/noticias/televisao,hackers-vazam-novas-informacoes-da-hbo-e-exigem-us-6-milhoes-em-resgate,70001929651

O americano Toby Brown não é só astrofísico. Ele também parece o protagonista de uma versão cósmica da série de TV Criminal Minds , e acaba de descobrir a identidade de um serial killer sanguinário: o plasma intergalático superaquecido. Suas vítimas? Galáxias inteiras.

É de deixar Jack, o Estripador com inveja. A equipe de Brown, que é astrônomo do Instituto Internacional de Pesquisa em Radioastronomia (ICRAR), na Austrália, observou 11 mil galáxias do universo próximo. Em várias delas, uma nuvem de gás com hidrogênio, hélio e quantidades menores de elementos mais pesados, que serve de matéria prima da formação de estrelas, estava sendo varrida para longe por uma espécie de aspirador de pó invisível. Conclusão? Conforme as estrelas já existentes envelheciam, a galáxia, incapaz de fazer outras novas, perdia brilho até morrer. Projeções artísticas fornecidas pela assessoria da instituição dão uma ideia da cena do crime: é fácil ver grandes concentrações de gás se separando da galáxia NGC 4921, localizada a 320 milhões de anos-luz de distância da Terra. Uma animação está disponível no canal do ICRAR no Vímeo.

 

Mas por que, afinal, isso acontece? Embora o plasma intergalático superaquecido, nome científico do aspirador, tenha uma boa parcela de culpa no cartório, ele é só a arma usada por algo bem mais misterioso: a matéria escura.

Tudo que você pode ver é só 5% de tudo que existe no universo. Os 95% restantes se dividem em 27% de matéria escura e 68% de energia escura, ambos invisíveis e indetectáveis. A existência da matéria escura só pode ser deduzida de sua influência gravitacional sobre a parcela do cosmos que podemos ver e investigar, chamada de matéria bariônica.

Ou seja: sabemos, por meio da física e da matemática, que essa imensa massa fantasmagórica precisa estar onde está para explicar o equilíbrio do universo. Ficou com medo? Não pense que o problema está longe de você. Uma hipótese bem aceita, por exemplo, é a de que todas as galáxias — incluindo a Via Láctea — estejam mergulhadas em auréolas de matéria escura, chamadas halos. Essa estrutura tem um papel fundamental nos modelos e simulações que explicam a formação e evolução das estrelas — ou seja, é mesmo bem provável que haja um desses em volta de nós.

“Durante seu período de vida, uma galáxia pode habitar halos de diferentes tamanhos, com massas que podem ser iguais iguais à da Via Láctea ou até milhares de vezes maiores”, explicou Brown na página de imprensa do INCRA. E é na hora de pular de um halo para o outro que o assassino misterioso entra em ação.

Qundo a galáxia fica presa entre o halo antigo e o novo halo, o plasma (que fica no espaço aberto, superaquecido) começa a extrair a matéria prima das estrelas à força. “É como uma pancada na cabeça. Em algumas dezenas de milhões de anos o gás acaba — do ponto de vista astronômico, isso é muito rápido”, contou o astrônomo à assessoria.

Segundo a equipe, já se sabia que esse processo, cujo nome científico é ram-pressure stripping , ocorria em aglomerados de galáxias maiores, com halos massivos. Mas essa foi a primeira vez que o fenômeno foi verificado em agrupamentos menores, às vezes com apenas duas galáxias. Triste, não? Se serve de consolo, a outra opção para o fim de uma galáxia é uma espécie de suicídio, que ocorre quando a formação estelar é mais rápida do que a capacidade de repor o gás.

Fonte: http://www.msn.com/pt-br/noticias/ciencia-e-tecnologia/milhares-de-gal%C3%A1xias-est%C3%A3o-desaparecendo-misteriosamente/ar-AAlZDju?li=AA520y&ocid=spartanntp

Comentários